Nós somos a Globo

Soou estranho? Mas é isso mesmo. No marketing digital nós todos, produtores de conteúdo para as redes sociais, somos como a Globo, a Cultura, a Record, o SBT, a Band, assim como também o UOL, a Folha, o Estadão, a Veja, enfim, desempenhamos agora o papel que até pouco tempo era missão exclusiva dos grandes veículos de comunicação.

Estávamos tão acostumados a receber suas programações que nem parávamos para refletir – embora soubéssemos – o porque da busca desenfreada por conteúdos originais e interessantes, com poder de atrair audiência. E não é assim? A cada dia nos vemos atônitos com mil e uma ideias de posts, vídeos, gifs, carrosséis, em suma, criando formatos e conteúdos para amparar nossos anúncios, o que em última análise levará aos públicos a informação que objetivamente interessa a nossos clientes.

Os conceitos continuam os mesmos: público-alvo; audiência; impacto; abrangência; penetração; qualificação; frequência; e por aí vai. A diferença, além do suporte midiático, está no fato de que agora eu, você e quem quiser gerar o seu próprio conteúdo, tem recursos e meios para isso.

Não há mais break comercial, mas há conteúdos permeados por intenções publicitárias, o tempo todo. Ou, ilustrando metaforicamente, a propaganda é agora uma ilha: um anúncio cercado de conteúdo por todos os lados.

 

Por Fernando Cavezale

CEO/Sócio da Like Up Marketing Digital